MURAL DE RECADOS



Como Fazer Uma Espera, ou Secretária de Praia Imprimir E-mail

por Milton Quadros e Célio Souza – ver.1 (Blog MilPesca)

Aqui em Salvador a secretária de praia tem o nome de “espera”.
Muitos colegas têm me perguntado como faço as minhas esperas, querem detalhes, custo e etc., e para facilitar e democratizar o uso (e preencher meu tempo nestes últimos dias de ferias) fiz a presente receita de bolo, digo, de espera ☺.
O material utilizado pode ser encontrado facilmente em casas de ferragens e de materiais de construção.
Apesar dos componentes de PVC serem da marca de maior preço, outros similares podem ser utilizados sem grande prejuízo do resultado e reduzindo o custo destes componentes a 60%.
O item marcado com o “x” deixei de utilizar pois favorecia o acúmulo de água dentro da espera.
O item de número 8 é uma cola epóxi flexível e transparente da SCOTH e destina-se à colar o item de número 1, anel de borracha, o qual evita arranhões na vara.
A marca dágua nas fotos é para evitar o uso sem citar a fonte, prática que temos visto com frequência na INTERNET.

O primeiro passo é colocar as luvas e o óculos de proteção e com uma faca amolada, do tipo de caça e pesca, retirar a rebarba existente na redução concêntrica de 50/25 (5), para permitir a passagem do tubo de alumínio (7). Esta operação também pode ser feita com uma grosa de carpinteiro.

Em seguida, encaixe o tubo de alumínio de 1” (7) na luva de redução (5). Esta não é uma operação fácil.
Para conseguir aqueça uma panela de água pequena, até a fervura, com cerca de 5cm de água, e mergulhe a redução (5) com a parte de 25 mm voltada para baixo por cerca de 15 segundos e em seguia retire-a, coloque-a no chão e empurre o tubo até ficar como a figura ao lado.
Coloque a redução com tubo sob a água corrente fria por 20 segundos para resfriar. O conjunto agora deve estar solidarizado e não deve ser possível girá-lo. Caso aconteça girar deverão ser colocados 4 rebites na redução mas isto só será necessário caso o tubo não esteja nos padrões industriais, uo seja, 1” com paredes de 1 mm.

Pegue agora 65g de DUREPOXI (3), cerca de ¾ dos “taruguinhos”, misture-os bem e vá colocando no espaço entre o tubo e a redução de PVC. Faça cilindros do epóxi a vá socando-os com a caneta. Cuidado para não deixar vazios. Para a caneta não grudar, umedeça-a levemente com água.

Dê o acabamento no durepoxi com os dedos umedecidos de forma que o mesmo fique arredondado. É ai que a vara ficará apoiada e cantos vivos estragarão a borracha do pé da vara.

Passe a cola de PVC (9) na redução (5) e na luva de 50 mm (6) e faça a soldagem, antes lixando-os levemente até que percam o brilho e limpando-os.
Se vc utilizou conexões da mesma marca não deverá ter problemas.

Agora a espera deve estar como abaixo.

Agora vamos unir o tubo de esgoto de 50mm (2) com a luva de 50mm (6) de água.Estes componentes não foram construidos para se unirem e, de novo, teremos que apelar para a água quente. Antes prepare com uma grosa, lixa ou pedra de amolar a ponta do tubo biselando-o de forma a facilitar o encaixe.
Mergulhe a espera com a luva de 50mm (6) na água quente, aguarde 20 segundos, retire-a e force contra o tubo de PVC (2) usando o piso como apoio e o peso do seu corpo. Resfrie o conjunto. Não deve ser possível girá-lo.

Use cola de PVC para unir o tubo (2) com a luva de 50mm (4). Estes componentes foram feitos para se encaixarem ☺

Agora utilize a cola epóxi flexível (8), generosamente, para colar o anel de borracha (1) na luva. Este anel protegerá vara de arranhões causados pela borda da espera. Não se esqueça de lixar e limpar antes de colar.

Abaixo está uma espera semelhante que fizemos.
A espera da foto, diferente da desta receita a qual tem 1,38 m, é de uma espera destinada ao uso dentro dágua, em praia rasa, sua altura é de 1,65 m, evitando que o molinete molhe pois nestas condiçãoes pescamos quase sempre com água à altura dos joelhos.

Nesta foto está o Mestre Célio, 81 anos de praia, meu amigo e criador das primeiras esperas de alumínio e PVC que deram origem a esta.